Portal Divinas Promessas

Portal Divinas Promessas
Agência Missionária e Produtora de Meios Audiovisuais para a Evangelização Cristã

terça-feira, 25 de abril de 2017

Por que 300?

Desde que me converti, ouço pregadores do Evangelho, alegarem que o critério de aprovação dos 300 homens de Gideão foi o fato de, por lamberem a água como os cães fazem (Juízes 7.4,5) eles foram espertos e vigilantes.
Examinando as versões mais usadas - Revista e Corrigida e Revista e Atualizada - percebi que, em nenhum momento, diz que eles levaram suas mãos à boca porque estavam vigilantes. Eles podem ter, inclusive, se encurvado para enfiar a mão na água. Eles só não dobraram os joelhos (aí cabe uma outra mensagem: aqueles que não dobraram os joelhos!) Em nenhum momento Deus qualifica como característica positiva ou negativa esta atitude, como Ele o fez, claramente, quando mandou que os tímidos e medrosos voltassem, dos 32 mil homens que se apresentaram inicialmente. Veja, neste caso, Ele os qualificou negativamente: tímidos e medrosos.

Porém, no caso da postura ao beber água, temos ouvido os humanos justificarem a escolha dos 300, elogiando esta postura. Mas não lemos que Deus a qualificou como positiva nem como negativa; Ele só mandou separar.

"E fez descer o povo às águas. Então o Senhor disse a Gideão: Qualquer que lamber as águas com a sua língua, como as lambe o cão, esse porás à parte; como também a todo aquele que se abaixar de joelhos a beber." - Juízes 7:5

Uma das interpretações poderia ser porque eles não fizeram o que a maioria estava fazendo. Aquele negócio de "seguir a massa", sabe? Alguém até poderia argumentar: "Mas, afinal, trezentas pessoas fizeram igual, isto também não seria seguir o que os outros estão fazendo?" Sim e não, pois, imagina 300 em meio a 10 mil pessoas? As 9.700 ficariam absolutamente mais visíveis e passíveis de imitação.

Mas, mesmo assim, não seria essa a interpretação mais certeira do motivo pelo qual Deus escolheu os 300 homens. Não foi por causa de sua postura; foi por causa do NÚMERO. Sim, do significado do número. Poderiam ter sido 380, 518, 499, 1.300, 1.150, 3, 45, 19 ... enfim. Mas foram TREZENTOS. Vamos entender o porquê.


Existem três espécies de interpretação dos números na Bíblia: A quantidade, o simbolismo e a Guematria ou Gematria. É por causa desta última, que o número 300 foi escolhido especificamente por Deus.

A Guematria é o método hermenêutico de de análise de palavras, atribuindo um valor numérico definido a cada letra.

A cada letra dos alfabetos hebraico e grego é atribuído um valor numérico. Então, cada palavra hebraica ou grega, tem, obrigatoriamente-se uma soma de valores numéricos.

A 21a letra do alfabeto hebraico (que possui 22 consoantes) "ShIn" possui o valor 300, número equivalente ao valor numérico da palavra RVCh ALHIM, Ruach Elohim, o Espírito de Deus. A letra Shin é, portanto, um símbolo do Espírito de Deus Temos R=200, V=6, Ch=8, A=1, L=30, H=5 ou Y=10, M=40 donde 200+6+8+1+30+5+10+40=300.

Portanto, a Mensagem de Deus para esta escolha não é que o SENHOR contava com a astúcia, esperteza ou vigilância do ser humano - "Se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela"(Salmo 127, lembra-se?)

domingo, 12 de março de 2017

ENCONTRO TRANSFORMAÇÃO - com Mônica Sampaio de Melo



INÍCIO 17 DE MARÇO DE 2017 - Participação GRATUITA! - Na Igreja da Praia: Rua Presidente Nereu Ramos, 671 - Posto 10 e meio - rua paralela à Av. Lúcio Costa (que é a rua da praia do Recreio) - Recreio dos Bandeirantes - Rio de Janeiro - RJ Mônica Sampaio de Melo é missionária na Igreja da Praia - Assembleia de Deus do Recreio. Pastor Presidente: Marcos Viana Pastora Auxiliar: Marcia Meuser